Câmara dos Vereadores de Florianópolis mantém sob protestos a privatização do transporte coletivo.

Dia 14 de setembro sob protestos a Câmara de Vereadores de Florianópolis aprovou por num processo relâmpago e sem consultar a população, um Projeto de Lei Complementar da Prefeitura, que mantém o atual modelo de concessão, entregando nas mãos das empresas o direito de explorar o transporte coletivo da cidade por até 35 anos.

Tanto os manifestantes que exigiam que o modelo de sistema de transporte coletivo passasse por uma consulta popular por meio de um plebiscito, como os vereadores da comissão do trabalho que levantaram a proposta de audiências públicas nas comunidades, foram ignorados pelos vereadores governistas e seus aliados, o que criou um clima de revolta nos presentes.

Ao fim da seção os manifestantes fecharam saída da garagem da câmara por uma hora em protesto pela aprovação da lei complementar, após a queima simbólica de um ônibus de papelão que representa o modelo atual de transporte coletivo, os vereadores puderam sair escoltados pela Polícia Militar.

Segundo os manifestantes haverão novos protestos contra a manutenção do modelo de sistema de transporte coletivo privado que perdura a mais de 40 anos em Florianópolis visando apenas os interesses dos empresários e da classe política conservadora em detrimento ao direito a cidade da população.

AnexoTamanho
dia14.flv36.87 MB