Mídia corporativa quer impor no Brasil TV digital de alta definição

Começou a ser veiculada no último dia 23 de março, nos maiores jornais do país, uma campanha publicitária da Associação das Concessionárias de Canais de TV aberta do Brasil, que reúne Bandeirantes, Cultura, Globo, Record, Rede TV!, Rede Vida, SBT, Canal 21, CNT e Rede Mulher. O "comunicado", (camuflagem da propaganda) ocupa uma página inteira de jornal e afirma que o ISDB -T (o sistema japonês de TV digital) "é o único sistema que garantirá, gratuitamente, a todos os brasileiros todos os benefícios da televisão digital".

Estudo sinaliza o fim do atual modelo de tevê

Pesquisa divulgada recentemente pela *IBM Business Consulting Services*revela que a televisão, conforme a conhecemos hoje, está com os seus dias contados. Diz o estudo que somente sobreviverá a indústria de TV que ofertar um maior número de canais e der conta dos diferentes níveis de exigência dos consumidores. O documento *'The end of TV as we know it: a future industry perspective'* (O fim da televisão como a conhecemos: uma perspectiva do futuro da indústria) entrevistou executivos europeus, asiáticos e norte-americanos que trabalham na área.

TV Digital: padrão pode ser definido pelo governo na próxima sexta

Entidades da sociedade civil entregaram à ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, um pedido para que seja adiada a decisão do padrão de TV digital a ser utilizado no Brasil. A reunião com a ministra aconteceu nesta quarta, 8/3, mesmo dia em que o jornal "Folha de S. Paulo" noticiou o fato de que o presidente Lula já teria escolhido o padrão japonês como modelo para o país.

TV DIGITAL BRASILEIRA: do sonho ao ralo !!!

"Se foi pra desfazer por que é que fez?" (Vinícius)

Texto por Mauro Oliveira e Tarcísio Pequeno

Theorur: interface gráfica para streaming de vídeo!

O Theorur é uma interface gráfica baseada no Darksnow para streaming de vídeo ao vivo utilizando o dvgrab e o codec theora.

Cordel da TV Digital

Sociedade exige adiamento da escolha do padrão de TV digital no Brasil

Oaxaca: mulheres tomaram o canal 9 de TV estatal

La estación de TV estatal de Oaxaca, bajo el control popular
Mujeres marchan al zócalo en contra del Gobernador y toman los estudios del Canal 9

Por Nancy Davies
2 de agosto de 2006

Ciudad de Oaxaca, 1 de agosto de 2006.- Al estilo de los "caserolazos", que se hicieron famosos en Argentina, las mujeres de Oaxaca tomaron las calles con sus cacerolas, sartenes y cucharas para acompañar el llamado de "¡Ruiz fuera!"

...|matuTai [circuito cultural integrado]

FNDC e Intervozes questionam governo quanto ao SBTVD

19/01/2006, 18h01

Para CPqD, operadores de rede podem ser realidade

O CPqD, em palestra realizada durante a Futurecom, que acontece esta semana em Florianópolis, expôs para os operadores de telecomunicações alguns dos pontos em que, segundo os levantamentos iniciais do instituto, será possível a participação das teles no cenário da tv digital aberta.

Casa Civil deve marcar posição sobre TV digital

O governo deverá marcar uma posição mais clara nesta quinta, 27, em relação à TV digital. Provavelmente a manifestação partirá de André Barbosa, assessor especial da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, durante sua participação em debate da Futurecom, que acontece esta semana em Florianópolis.

contratv

http://contratv.net

: : : : : filmes pequeninos : : : : :

: : : faça seu próprio programa : : :

O JOGO

O monopólio da informação está em xeque. Já que o rei está morto, os piolhos se alimentam do sangue da família real. As torres sustentam nossas antenas, os bispos não redimem o território que está ocupado pelos milhões de peões sedentos de movimento.

O desencantamento do mundo não destruiu o mito da magia dos meios como se as imagens e sons fossem frutos do divino.Os fins por enquanto prevalecem, a subversão urge que consideremos o modo de fazer ao invés da coisa feita, o improviso sobre o tema, já que o tema é um improviso repetidamente tocado.

Piolho : Um projeto de TV Livre

PIOLHO : UM PROJETO DE TV LIVRE

Sem fins lucrativos

Queremos envolver a todos no exercício de um direito humano fundamental: a liberdade de expressão. Acreditamos que isso só é possível se estivermos livres das exigências do lucro. A busca de grandes audiências, condição de existência das grandes empresas de comunicação que detêm o monopólio do uso das ondas, foi até hoje o obstáculo fundamental para que percebêssemos outras possibilidades de TV.

A televisão não será revolucionada!?

A televisão não será revolucionada!?
por Media Sana: www.mediasana.org

http://www.mediasana.org/videos/02_televisao.mpg

sobre TV LIVRE

Hoje, o desenvolvimento tecnológico permite a apropriação da rádio e teledifusão
de baixa potência por grupos e pessoas comprometidas com a luta pelos direitos
humanos fundamentais. O direito de comer, trabalhar, morar e querer uma ecologia sustentável: qualidade de vida. O que inclui livre-produção cultural e resistência aos modelos colocados pela industria cultural: significa o direito de poder se expressar e afirmar um pouco do que é para a coletividade.

Antes ouvintes, agora locutores.

Você sabe como funciona a legislação sobre os meios de comunicação no Brasil?

Criação de programas contratv?

tv livre

Atualmente, vivemos uma realidade em que o desenvolvimento tecnológico permite o crescimento da apropriação da radiodi-fusão e televisão de baixa potência por parte dos diversos movimentos, grupos e pessoas comprometidos com a luta pelos direitos humanos fundamentais. O direito de comer, de trabalhar, de morar, de querer uma ecologia sustentável, ter o acesso mais amplo possível à cultura e educação, de criar e resistir à ideologia dominante. Ou simplesmente o direito de poder se expressar e afirmar um pouco do que é para a coletividade. Antes ouvintes, agora locutores.

Televisão de Baixa Potência

Televisão de Baixa Potência (VHF)

Cicilia M.Krohling Peruzzo

São transmissões televisivas na freqüência VHF (Very High Frequency)[1] de aproximadamente 150 watts, que atingem comunidades específicas. Não está regulamentada em lei, portanto são transmissões clandestinas. Entram no ar em caráter ocasional, até pelos riscos decorrentes de sua ilegalidade.

Conteúdo sindicalizado